Use o cupom "NEW" e Ganhe até 20% OFF em todas as Artes!

Paul Gauguin: Herança, críticos, abandono, atrito com autoridades e tentativa desesperada

Voltaria à Europa mais uma vez, em 1893, quando recebeu uma herança deixada por um tio. Com o dinheiro, organizou uma exposição de seus quadros taitianos, prontamente rejeitados pelos críticos, que recriminaram-lhe as “cores exageradas” e “irreais”.

Desiludido, Gauguin abandonou a França de uma vez por todas. Retornou ao Taiti em 1895, onde continuou a enfrentar problemas financeiros e a sofrer os efeitos de outra doença: a sífilis.

Pobre e enfermo, teve atritos com as autoridades locais por causa das críticas que fazia à administração colonial e à catequização dos nativos. Em 1897, ficou novamente sem dinheiro para se manter e para comprar os remédios de que necessitava.

Deprimido, chegou a tentar dar fim com a vida utilizando arsênico, logo depois de receber a notícia da morte da filha, Aline, e de pintar sua obra mais monumental, a tela “De onde viemos? O que somos? Para onde vamos?”, medindo 1,39m por 3,75m. Quando recuperou-se, escreveu: “Eu queria partir. E pintei este quadro de um golpe só”.
.
Fontes e Fotos: Masp, WebMuseum, Expo-shop, Cultura e pensamento, Tahiti, Website Van Gogh & Gauguin. / Wikimedia Commons, Google Arts.

Paul Gauguin: Cooperação de Theo, vida com Van Gogh, prestígio em Paris e viagem ao Taiti
Paul Gauguin: Isolado, inimigos, Igreja Católica, represália, prisão, doença e fim da vida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =

Fechar Carrinho de Compras
Fechar Favoritos
Obras vistas Recentemente Close
Fechar

Fechar
Menu da Galeria
Categorias
Chamar no WhatsApp!!
Estamos online! Como podemos te ajudar?
Brazil Artes • Galeria tá ONline!!!
Olá, estou online e com Descontão Especial para você 🤗
No caso de dúvidas, clique no botão abaixo para ser atendido! 🥰